Sou e Sempre Serei Um Filho do Pai

Por Luiz Correa

Quantas batalhas internas vivemos em nossas vidas, para entender quem somos e como nos encaixamos na sociedade. Quando se é SUD você tem muito mais a pensar, que grupo eu pertenço? Dos jovens, dos adultos, dos ex missionários, dos jovens adultos solteiros, são tantos subgrupos dentro de um mesmo grupo.  E quando você se descobre dentro de um destes grupos e descobre que você ainda pertence a um outro grupo que não está inserido dentro do contexto SUD?

Quando você descobre que estando em qualquer um destes grupos, você ainda tem o fato de ser LGBT. Como posso conciliar estes dois mundos SUD e LGBT? É um paradoxo, porque como posso viver minha vida sendo um membro SUD, com todas as regras, doutrinas e promessas que nos são feitas, por toda uma vida e ainda viver minha vida sendo LGBT, amar alguém, formar uma família, sentar com meu companheiro nas reuniões de domingo, ir aos bailes e dançar com ele, participar ativamente da vida SUD.

Parece dois mundos tão iguais, mas que não verdade eles são tão distantes dentro daquilo que se propõe cada um. Será que é possível ser feliz pela metade, fazendo o que se gosta, mas tendo que se abster de outra. Aprendemos que para ser feliz e alcançar o grau mais alto no reino do Pai Celestial temos que ter uma família eterna e cumprir os mandamentos de acordo com os dogmas SUD.  Como poderei ser completamente feliz no reino dos céus, se dentro do evangelho o correto é que eu me case com alguém do sexo oposto e constitua uma família bíblica.

Se me caso com uma pessoas do mesmo sexo e constituo uma família e me sinto completo, sendo esclarecidamente quem sou, não serei completamente uma pessoa feliz, pois não poderei proferir a minha fé que acredito ser a verdadeira.

Dois mundos que são como água e óleo que não se misturam, como poderei exercer a minha felicidade plena, acredito no evangelho e doutrina SUD, mas também tenho dentro de mim  sentimentos que gritam, por amor, por carinho, respeito, mas que são sufocados .

Deus é um Deus de amor, misericórdia e compaixão, ele é um pai de ama à seus filhos. Sendo ele tudo isso, como ele poderia me negar o direito de ser feliz por completo?  Sou um filho de Deus em todos os sentidos, não é porque sou um pessoa quem tem atração pelo mesmo sexo, que deixarei de ser filho do Pai Celeste e ser amado por ele.

Independente das escolhas que fizermos nesta vida, mesmo que não sejamos completos em nossa felicidade que é unir a religião e  orientação, podemos ter a plena certeza que o Pai olha por nós, ele não nos desampara. Tenho plena certeza que quando nos encontrarmos com ele, seremos abraçados , assim como o filho que sai para uma longa jornada e retorna ao lar, sendo acolhido pelos pais.

Não somos errados por termos nossa orientação sexual, diferente da maioria das pessoas, não fizemos  escolha de ser assim ou assado, nascemos assim. Como Pai ele nos conhece muito mais do que nós a nós mesmos. Minha benção patriarcal diz que sou um vaso valioso e precioso, se ele já me conhecia, porque ele diria tal coisa se realmente eu não fosse.

Sou sim um filho do Pai Celeste que me ama incondicionalmente, nada me faz pensar ao contrario, amo saber que ele me ama, da mesma maneira que ele já me amava quando vivia com ele na pré existência.

 

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*