Sou Abençoada Por Ter Um Pai Gay e Uma Mãe Lésbica

Esta publicação também está disponível em: Inglês Espanhol

 

Gabriela Correa

 

Eu sou filha única do casamento de meus pais, mas tenho uma irmã de um outro relacionamento da minha mãe, antes de ela conhecer meu pai. Eu nasci dentro dos convênios da doutrina Mórmon, fui apresentada no primeiro domingo do mês, participei de toda a primaria e as moças.

Meus pais se separaram quando eu ainda era da primaria juntamente com minha irmã que é 3 anos mais velha do que eu. Eu ainda não podia entender o que estava acontecendo entre meus pais, nós ficamos com minha mãe e meu pai vinha sempre nos visitar.

Houve um período de nossas vidas que fomos eu e minha irmã mora com nosso pai, ele sempre fazia questão que nós frequentássemos a igreja, ele sempre levantava cedo no domingo, nos arrumava, dava o café da manhã e nos levava até a porta da igreja e não entrava. Eu sempre me perguntei o porque meu pai que sempre incentivava a gente a estar na igreja a fazer orações e ler as escrituras, não entrava na igreja com a gente aos domingos.

Quanto estava entre 10, 11 anos minha mãe decidiu contar para nós que nosso pai ele era gay, achei estranho ele mesmo não falar isso para nós, mas isso não mudou muito nossa relação, pois ele era nosso pai. Dois anos depois ele chamou eu e minha irmã para uma conversa e com muita dificuldade ele nos contou o que já sabíamos.

No começo estava tudo ok se meu pai era gay, difícil foi quando minha mãe decidiu também sair do armário e dizer que iria casar com uma mulher. Isso deu um nó em minha cabeça, como pode eu ter  os dois pais gays, será que eu tinha feito alguma coisa errada, será que Deus estava me castigando?

Eu não tinha muita coragem para contar para as pessoas sobre isso, eu me mantive fiel na igreja e com um enorme desejo de servir missão como fez meu pai, eu sabia que tinha tomado a decisão certa de me preparar para uma missão de tempo integral.

Mas em 2015 a igreja veio com a politica de não permitir que filhos de casais homoafetivos não poderiam ser batizados e se quisessem se batizar somente aos 18 anos tendo que renegar seus pais. Isso foi como uma facada em meu coração pois eu amava demais meus pais para renega-los, mas também tinha o grande desejo de servir ao Senhor em uma missão.

Como fazer esta escolha em minha vida, como deixar para trás tudo que queria e amava. Depois de muito refletir eu decidi que não poderia fazer uma missão de tempo integral. Como poderia ensinar as pessoas que a homossexualidade é um erro, um pecado, sendo que meus pais eram gays e estavam felizes em suas condições. O amor que meus pais sempre me deram, a educação que tive a minha decisão não foi tão difícil, Apoio meus pais em tudo, eu os amo eles são meu alicerce, sei que não fizeram nada de errado, só seguiram seus corações para serem felizes como eles querem ser.

Tenho muito orgulho dos pais que tenho, não os trocaria por nada nesta vida. Eu sou a prova viva que ser criada por gays e lésbica não me tornou uma lésbica eu sou heterossexual e apoio 100% a causa LGBT, sou membro da Afirmação juntamente com meu pai.

Hoje eu assim como meus pais sou bem resolvida quanto a ter  um pai gay e uma mãe lésbica, na verdade tenho orgulho e não escondo isso de ninguém. Nem por isso fomos privados das  bençãos do Pai Celestial, eu sei que sou uma filha especial dele e que ele por ser meu Pai entendeu a minha escolha quando escolhi estar ao lado dos meus  pais terrestre a fazer uma missão.

 

 

 

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*