Precisamos levantar US $ 50.000 até o final do ano para fortalecer os líderes locais e os capítulos da Afirmação. Você vai doar hoje para nos ajudar a alcançar nosso objetivo?

artigos, Artigos, Diversidade, Fortaleza, Recife, São Paulo

Mitos e Verdades Sobre AIDS/HIV

Texto de Luiz Correa

Gerente de conteúdo online em Português

 

Existem ainda muitos mitos e verdades sobre a AIDS/HIV que faz com que as pessoas se afastem de pessoas contaminadas ou mesmo os contaminados retardarem seu tratamento por desconhecer muitas vezes a verdade.

Vou citar aqui alguns mitos  e verdades que podem ajudar acabar com o preconceito e ajudar aqueles que de alguma forma direta ou indiretamente foi atingido por esta doença.

O vírus HIV pode ser transmitido por beijo, abraço ou aperto de mão?
Mito. O vírus HIV é transmissível apenas por contato sexual ou pelo sangue.

No Brasil, é possível fazer prevenção medicamentosa para evitar a contaminação do HIV?
Verdade. O que já existe é a PEP (profilaxia pós-exposição), um conjunto de medicamentos anti-HIV que pode ser tomado até 72 horas após a situação de risco, durante 28 dias, para diminuir as chances de uma infecção pelo HIV. Porém, será possível fazer prevenção medicamentosa para evitar a contaminação deste vírus a partir de 1º de dezembro de 2017, quando será implementada a PrEP (profilaxia pré-exposição) no Sistema Único de Saúde (SUS). A PrEP, no entanto, não confere proteção contra nenhuma outra infecção sexualmente transmissível, como sífilis, hepatites ou gonorreia.

O diagnóstico é feito somente por exame de sangue?
Mito. Além do teste pelo sangue, já existe o teste de fluido oral, que é capaz de detectar a presença de anticorpos para o HIV na saliva.

Se o exame der negativo, posso respirar aliviado?
Mito. Se o exame der negativo, existe uma chance muito grande de que a pessoa não esteja infectada. Porém, se a pessoa tiver tido alguma exposição ao HIV durante o período chamado janela imunológica – período que o organismo necessita para desenvolver anticorpos detectáveis nos exames –, pode, sim, haver infecção com resultado negativo. Vale lembrar que, para os testes disponíveis no sistema público de saúde, considera-se como janela imunológica o período de 30 dias após situação de risco. Caso a pessoa acredite ter se exposto durante esse período, recomenda-se repetir o teste 30 dias depois.

É possível contrair vírus HIV em estúdios de tatuagem, manicures e consultórios de dentista?
Verdade. Além de outras infecções graves como hepatites. Por isso, é necessário que todos os aparelhos utilizados sejam descartáveis ou devidamente esterilizados antes de serem utilizados novamente.

Portadores de HIV, mesmo fazendo tratamento correto, morrem mais cedo do que pessoas que não estão infectadas?
Talvez. Portadores de HIV têm um risco maior de desenvolver problemas de saúde como infecções oportunistas (tuberculose, toxoplasmose etc.) e alguns tipos de câncer, especialmente quando sua carga viral não está zerada. No entanto, pessoas que iniciam o tratamento cedo e o fazem da maneira correta, diminuem significativamente esses riscos. Atualmente, há muitas pessoas vivendo com HIV com a mesma expectativa de vida de pessoas não-infectadas.

Mulheres soropositivas podem engravidar sem que o vírus HIV seja transmitido?
Verdade. Se já estiverem em tratamento ou o iniciarem o quanto antes, o risco de transmissão para o bebê se reduz a quase zero.

Os novos coquetéis de drogas fizeram da AIDS uma doença crônica como a hipertensão?
De certa forma, sim. Isto significa que a chance de alguém que adere ao tratamento da maneira correta desenvolver AIDS é mínima. No entanto, é preciso lembrar que interromper o tratamento vai fazer com que o vírus volte a se multiplicar, além de favorecer sua mutação em formas mais resistentes aos medicamentos disponíveis.

Quem tem HIV tem sempre que usar camisinha.

VERDADE: Todas as pessoas que possuem o vírus HIV são aconselhadas a só ter relação sexual com camisinha para proteger seu parceiro. A camisinha é a melhor forma de proteção contra o vírus HIV e por isso ela deve ser usada em todo contato íntimo, devendo ser trocada após cada ejaculação.

Beijo na boca transmite HIV.

MITO: O contato com a saliva não transmite o vírus HIV e por isso o beijo na boca pode acontecer sem peso na consciência, à não ser que os parceiros tenham alguma ferida na boca, porque sempre que há contato com o sangue existe o risco de transmissão.

Homem ou mulher com HIV não pode ter filhos.

MITO: A mulher que é HIV positivo pode engravidar mas deve realizar os exames para saber se sua carga viral é negativa e ainda assim deve tomar todos os remédios que o médico indicar para não contaminar o bebê. Em todo caso, se o homem ou se a mulher forem soropositivos para evitar a contaminação do parceiro é recomendado realizar uma fertilização in vitro, sendo particularmente indicado usar a técnica de injeção intracitoplasmática de espermatozoide. Nesse caso o médico retira alguns óvulos da mulher e em laboratório insere os espermatozoides do homem dentro do óvulo e depois de algumas horas implanta estas células dentro do útero da mulher.

Quem tem HIV tem AIDS.

MITO: HIV refere-se ao vírus da imuno deficiência humana e AIDS é a síndrome da imuno deficiência humana e por isso estes termos não podem ser usados como sinônimos. Ter o vírus não significa estar doente e por isso o termo AIDS só é indicado quando a pessoa adoce devido a fraqueza do seu sistema imune e isso pode demorar mais de 10 anos para acontecer.

É possível viver bem com HIV.

VERDADE: Com o avanço da ciência, os anti-retrovirais são mais eficientes e tem menos efeitos colaterais trazendo melhor qualidade de vida. Além disso, hoje em dia as pessoas estão mais informadas e há menos preconceito em relação ao vírus HIV e a AIDS, no entanto é imprescindível realizar o tratamento tomando os medicamentos indicados pelo infectologista, usar sempre camisinha e realizar os exames e as consultas médicas regularmente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *