Espiritualidade X Religiosidade

Esta publicação também está disponível em: Inglês Espanhol

Por Luiz Correa

 

Temos em nosso meio na Afirmação,  pessoas que hoje se dizem membros afastados da igreja SUD, outros se dizem membros ativos na igreja, outros são  céticos, preferindo não estar ligados a nenhuma instituição religiosa. A Afirmação tem como um dos princípios apoiar qualquer uma destas pessoas independentes de seus pensamentos sobre a igreja.

Muitas pessoas que não são ou não conhece a cultura Mórmon, sempre nos perguntam, o porque continuamos em uma religião onde não somos aceitos e muitas vezes sofremos interiormente por conta desta rejeição.

Fato é que muitos de nós, nascemos, crescemos dentro dos ditames religiosos Sud, muitos de nós somos ex- missionários, fomos lideres dentro da igreja ou seja, a maior parte de nossas vidas foram vividas dentro do evangelho da igreja.

Quando nos aceitamos como uma pessoa LGBT, não quer dizer que estamos abrindo mão de nossa espiritualidade ou de todo o conhecimento adquirido, mas muitos por razões variadas, deixam sua religiosidade de lado.

 

 

 

A palavra RELIGIÃO vem da do latim “RELIGARE” que significa se religar ao divino, mas com o tempo este termo sofreu mudanças, porque hoje em dia religião tem a ligação direta com instituições que funcionam com regras próprias. Então quando se diz que alguém é religioso é porque ela está ligada à alguma instituição formal, ou seja, à alguma igreja.

Já a espiritualidade tem o seu significado no senso comum como o ato de cuidar das coisas do espírito. Portanto, pode ser associada a diversas práticas que não necessariamente estão ligadas a alguma religião.

Com esta comparação pode-se dizer que sim, a população LGBT é sim espiritualizada, diferentemente do que as pessoas imaginam, nós buscamos cuidar de nosso espírito, pois sabemos que somos todos filhos de um único pai, Romanos 8: 16 “O mesmo Espírito testifica com o nosso espírito que somos filhos de Deus”.

 Podemos nos conectar ao Divino de muitas maneiras. Podemos estar na igreja ou podemos orar, ler as escrituras, estar com o nosso pensamento ligado a Ele. O mais importante é ter consciência do que se quer para você. Não existe certo e errado e não devemos usar termos para discriminar as pessoas de uma ou outra corrente de pensamento.

Já se você é uma pessoa que gosta de frequentar alguma religião e isso te conecta ao divino e te faz sentir a espiritualidade, faça-o! Às vezes estar em grupos com o mesmo propósito pode ajudar a sentir a emoção e a espiritualidade de forma intensa também. O importante é que seja verdadeiro.

O mais importante em tudo isso, se você é mais espiritualizado, se mais religioso  você é os dois ou você não é nenhum dos dois o importante é não perder aquilo que que lhe faz sentir bem dentro de suas escolhas como um filho de Deus. Busque sua maneira de ser feliz consigo mesmo e de viver em harmonia com a sociedade onde vive.

 

A religião gera a separatividade enquanto a espiritualidade abraça a diversidade e promove a união

 

 

 

 

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*